quarta-feira, 15 de julho de 2009

aquela lua daquela segunda.


Pra pintar a lua o dia precisa escurecer.
Peço pro dia para que se retire e permita a chegada da deusa.
Deixa ela, que é tão vaidosa se exibir. Gorda, cheia de nuances, sensual. Sem defeitos.
Totalmente nua. Nualua.
Carimbo divino. Charme da Via Láctea. Charme da vida.
Vou escrever uma música pra ela. Pra essa Gabriela no telhado. Matusquela.
Nada ousa te ofuscar: nem a grade da minha varanda, nem o avião que cruza o céu.
Os gatos entram no cio por tua volúpia e gemem nos telhados por tua inconstância.
Sua sedução é culpada. E linda.
Quero ser tua, lua.
Quero ser culpada. E redonda e exibida.
Escurece dia, para a lua pintar.

4 comentários:

Tati Lontra disse...

Lua que encanta.
Serena e exibida.
O que seriamos sem ela pra iluminar nossas noites boêmias?

Beijo

Bru Brig. disse...

Lualess!

rafael disse...

O que seria dos apaixonados sem ela?
Não é mesmo?

Joi disse...

Foda. Eu amo ela, a Lua. Sou muito devoto à ela. Adoro quando ela sorri. Cheia é uma coisa linda.